Gestão de Empresas

Saiba como executar um planejamento tributário na sua empresa

 

Um dos maiores equívocos que as empresas podem cometer é pagar os impostos sem fazer a devida avaliação a respeito de seu empreendimento nos regimes tributários disponíveis. Isso porque uma boa análise das características da empresa em função de cada um dos modelos de tributação favorece a economia no pagamento de impostos, além de simplificar os procedimentos burocráticos. Chamamos isso de planejamento tributário.

Diferentemente de práticas como a sonegação, o planejamento tributário é uma atividade legal, onde a grande importância está em optar pelo melhor enquadramento tributário possível para evitar o pagamento de impostos de forma desnecessária.

Pensando nisso, preparamos este post para que você saiba como executar um planejamento tributário na sua empresa. Continue lendo!

Como fazer um planejamento tributário?

Um planejamento tributário não é uma tarefa tão simples. Com as margens de lucro cada vez mais enxutas devido à forte concorrência em todos os segmentos, sua elaboração correta fará toda a diferença em uma negociação.

O primeiro passo é ter um planejamento operacional coerente. Os seguintes pontos são obrigatórios no momento de colocar em prática esse plano:

  • expectativa de faturamento, para quem e para onde se pretende faturar;

  • quais produtos ou serviços serão disponibilizados;

  • previsão das despesas operacionais;

  • o que se pretende comprar e quais serão seus insumos, localização de fornecedores, valor das despesas com funcionários e margem de lucro.

O segundo passo é buscar auxílio de pessoas especialistas. Dessa forma, é possível analisar todos os pontos e realizar um comparativo entre lucro real, lucro presumido e simples. Além disso, o estudo de peculiaridades referentes ao ICMS e ISS também é importante.

Por que o planejamento tributário é importante para a empresa?

Para que o planejamento tributário seja realizado corretamente é preciso fazer uma análise profunda do universo da organização.

Assim, questões como a definição precisa da atividade que a empresa realiza, seu nicho de atuação, o mercado em que atua, além de elementos como o estudo comparativo dos regimes tributários, a avaliação de regimes especiais e benefícios possíveis, o estudo de impostos, a classificação fiscal de produtos e serviços, aberturas de filiais, entre outros precisam ser considerados.

Para que a empresa tenha destaque no mercado, o planejamento tributário é imprescindível. Somente com uma boa relação com a questão dos tributos é que torna-se possível melhorar resultados e garantir maiores lucros a partir da diminuição das despesas.

Como executar o planejamento tributário de sua empresa?

É importante deixar claro que a definição do regime tributário mais adequado é o grande diferencial do planejamento tributário, entretanto, para que isso seja feito da maneira correta é preciso fazer um estudo completo de sua própria empresa.

Assim, ao determinar com precisão as atividades que ela realiza é possível considerar os três regimes disponíveis para as empresas brasileiras, o Simples Nacional, o Lucro Real e o Lucro Presumido.

Simples

De modo prático, o Simples é um regime tributário diferenciado, desenvolvido especificamente para empresas de pequeno e médio porte, que tem como principal característica a unificação dos principais impostos devidos por essas empresas numa mesma guia, o Documento de Arrecadação do Simples, popularmente conhecido como DAS.

Restrito a empresas que faturam no máximo R$ 3,6 milhões anuais, limite que será de R$ 4,8 milhões em 2018, o Simples facilita muito a vida do pequeno e médio empreendedor, pois agiliza sua relação com as obrigações legais.

Lucro Real

Já o Lucro Real é o regime de tributação obrigatório para empresas que faturam mais de R$ 78 milhões anuais. Entretanto, ele é optativo para empresas que preferem que seus tributos sejam calculados sobre o lucro líquido obtido.

Por ter a tributação calculada sobre o lucro, é o regime tributário teoricamente mais justo entre os três.

Lucro Presumido

No Lucro Presumido, o cálculo dos impostos é realizado sobre a média dos resultados de todas as empresas que executam aquela atividade no país. Assim, quem opta pelo Lucro Presumido tem seus impostos calculados sobre a média nacional, o que representa uma vantagem considerável para empresas que faturam muito acima da média.

Em resumo, faturamento e atividade são os dois elementos fundamentais que sua empresa deve analisar para fazer uma boa escolha de regime tributário.

Quais são os benefícios decorrentes do planejamento tributário para a empresa?

Os gestores de negócios precisam se preocupar com a eficiência da empresa em relação ao ente tributante. Confira 3 benefícios do planejamento tributário para a empresa:

Redução de custos do empreendimento

O planejamento tributário tem como meta diminuir — de acordo com a lei — o pagamento de tributos. É um meio fundamental para otimizar a gestão empresarial, já que analisa o histórico financeiro e tributário do empreendimento, as despesas, a expectativa de faturamento e margem de lucro.

Com essa análise, ele define qual regime de tributação é mais vantajoso para a empresa e visualiza possíveis incentivos e isenções fiscais. A partir disso, o profissional realiza simulações para compreender o modo que o regime vai afetar a empresa.

A verdade é que, caso, se bem estruturado, o planejamento tributário é uma ótima possibilidade de amenizar os custos, dada a menor incidência de tributos.

Menos autuações fiscais

O estudo dos dados não serve apenas para saber o mais vantajoso regime de tributos a ser escolhido, nem também para aproveitar os créditos, incentivos e isenções fiscais. O detalhamento da vida tributária e financeira da empresa previne possíveis erros nos lançamentos dos eventos tributários.

As obrigações tributárias de um empreendimento incidem sobre sua renda, sobre o consumo e sobre o patrimônio, além das taxas de funcionamento para algumas empresas. Com essa diversidade, o planejamento tributário é fundamental para deixar tudo de acordo com a legislação e, dessa forma, prevenir multas fiscais e autuações, por causa de erros ou transgressões legais.

Planejamento tributário promove a competitividade

A redução de gastos da empresa permite a ela conseguir uma boa saúde financeira, devido à sua gestão eficiente dos recursos. Com capital disponível, o negócio pode se alimentar com iniciativas que a promovam no mercado, colocando-a em um patamar de destaque e ampliando sua competitividade.

A gestão coerente dos recursos financeiros torna possível a ampliação da competitividade e pode ser demonstrada da seguinte maneira: ao transferir o faturamento da empresa do último dia do mês para o 1º dia do mês subsequente, ganha-se 30 dias para pagamento de tributos como ICMS, PIS, COFINS, IRPJ, ISS, CSLL e simples.

Enfim, se sua empresa tem esbarrado na questão tributária e, por isso, não consegue obter melhores resultados, considere fazer o planejamento tributário. Isso permite reduzir gastos e, consequentemente, dar à sua gestão condições melhores para investir. Quem sabe não seja este o segredo do sucesso para o seu empreendimento?

E aí, gostou do nosso post sobre como executar um planejamento tributário para sua empresa? Assine nossa newsletter e fique por dentro deste e de outros assuntos!

 
Você também pode gostar
Calculo empresarial
5 dicas para reduzir a inadimplência na sua empresa
Documento empresarial
8 dicas para organizar os arquivos contábeis
FIQUE LIGADO NO PRAZO DE ENTREGA DAS DECLARAÇÕES DO IMPOSTO DE RENDA 2018

Deixe seu comentário

Seu comentário*

Nome*
Site

Share This