Gestão de Empresas

Imposto de Renda 2017

leão fundo branco

Imposto de renda 2017: Veja quem deve declarar

RENDIMENTOS TRIBUTÁVEIS: As pessoas físicas residentes no Brasil que receberam rendimentos tributáveis superiores a R$ 28.123,91 em 2016 (ano base para a declaração do IR deste ano).

RENDIMENTOS ISENTOS: Os contribuintes que receberam rendimentos isentos, não-tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte, cuja soma tenha sido superior a R$ 40 mil no ano passado.

ALIENAÇÃO DE BENS: Quem obteve, em qualquer mês de 2016, ganho de capital na alienação de bens ou direitos, sujeito à incidência do imposto, ou realizou operações em bolsas de valores, de mercadorias, de futuros e assemelhadas.

PROPRIEDADES DE BENS: Quem tiver a posse ou a propriedade, em 31 de dezembro de 2016, de bens ou direitos, inclusive terra nua, de valor total superior a R$ 300 mil, também deve declarar IR neste ano. Este é o mesmo valor que constava no IR 2016 (relativo ao ano-base 2015).

NOVOS RESIDENTES: Contribuintes que passaram à condição de residente no Brasil, em qualquer mês do ano passado, e que nesta condição se encontrassem em 31 de dezembro de 2016.

VENDA DE IMÓVEIS: Quem optou pela isenção do imposto sobre a renda incidente sobre o ganho de capital auferido na venda de imóveis residenciais, cujo produto da venda seja destinado à aplicação na aquisição de imóveis residenciais localizados no país, no prazo de 180 dias contados da celebração do contrato de venda.

ATIVIDADE RURAL: Quem teve, no ano passado, receita bruta em valor superior a R$ 140.619,55 oriunda de atividade rural. No IR de 2016, relativo ao ano-base 2015, este valor era de R$ 134.082,75.

COMPENSAÇÃO DE PREJUÍZOS: Quem pretenda compensar, no ano-calendário de 2016 ou posteriores, prejuízos relativos à atividade rural de anos-calendário anteriores ou do próprio ano-calendário de 2016, informou a Receita Federal.

Fonte: Receita Federal do Brasil

Cuidados com sua declaração de imposto de renda 2017

Ao longo dos anos, a Receita Federal desenvolveu ferramentas para cruzamento de dados das informações financeiras tanto das pessoas físicas quanto das pessoas jurídicas. Não é surpresa de ninguém os mecanismos como ECF-SPED, E-FINANCEIRO, porém não convém falarmos sobre essas ferramentas de controle fiscal. O que temos que saber é que eles possuem as informações geradas durante o ano de 2016 e isso pode impactar na sua declaração de Imposto de renda deste exercício 2017.

Como se trata de uma obrigação do contribuinte, não há como escapar dela, então, o jeito é tentar da melhor forma possível atender à legislação e precaver-se antecipadamente contra erros e atropelos de última hora.

Afinal, como encarar a burocracia, e tentar restituir o máximo possível (ou ainda pagar o menor imposto)?

Seguem algumas dicas:

Entregue Dentro do Prazo

Evite pagar multas por atraso na entrega, vá se preparando já, pois o prazo final para entrega é 30 de abril. Mas não deixe para a última hora! Os computadores da Receita Federal ficam sobrecarregados nos últimos dias do prazo final de entrega, dificultando a recepção da declaração.

Organize os Documentos e Informações

Se você faz parte dos contribuintes que precisam entregar a declaração, é bom começar a juntar todos os documentos e informações como:

  • Saldos de conta corrente;
  • Poupança;
  • Fundos, previdência;
  • Comprovantes de renda;
  • Recibos necessários ao preenchimento da declaração.

É por meio dos comprovantes remetidos pelos bancos e fontes pagadoras que você poderá saber o quanto possuía na sua conta corrente, quanto tinha investido e quanto já pagou de imposto de renda.

Lembre-se que, tanto nos salários, quanto nos demais rendimentos, você paga imposto direto na fonte, e este montante – se não for tributado de forma exclusiva (como no caso do 13º salário), pode ser descontado na hora de calcular seu imposto a pagar ou permitir uma maior restituição.

Se sua intenção for declarar pelo formulário completo e deduzir despesas médicas e com educação, ou até mesmo dependentes, além dos extratos de rendimentos, você precisa arquivar todos os recibos de despesas.

A opção pela apresentação da Declaração de Ajuste Anual Simplificada implica a substituição das deduções previstas na legislação tributária – portanto, não caia no comodismo de pensar que a mesma é melhor opção para você, só porque é mais fácil de preencher!

Em alguns casos estas despesas estão limitadas a um teto máximo, como é o caso das despesas de educação. Mas nas despesas médicas não há limite, e você precisa ter todos os comprovantes de pagamento em mãos (sejam recibos ou cópias dos cheques nominais) para saber o quanto efetivamente gastou.

Não Deixe para a Ultima Hora!

A preparação da declaração do Imposto de Renda é uma tarefa que exige tempo e concentração, caso não saiba fazer procure profissionais qualificados, porém apresente toda documentação solicitada com antecedência. Lembre-se que qualquer erro ou inconsistência pode fazer sua declaração ficar retida na malha fina, a dica: é se organize com antecedência.

Tire suas dúvidas antes, arquive todos os documentos em uma só pasta. Se tiver restituição, cadastre uma conta que você utiliza com frequência. Mas cuidado para não se esquecer, fechando esta conta no decorrer do ano – isto dificultará o recebimento do seu crédito.

Ajuda profissional não dispensa organização de documentos e informações!

Se você for contratar um contador para preenchimento, é importante que tenha toda a documentação necessária para que este prepare sua declaração sem pressa. Não deixe para a última hora, pois esta é a época mais atarefada destes profissionais e, se você não entregar a documentação a tempo, ou entregá-la de forma incorreta, haverá maiores possibilidades de ocorrerem erros na declaração. Convenhamos, isto não será culpa do profissional. Não deixe para a última hora!

Checagem Geral

Antes de entregar sua declaração, faça as seguintes checagens:

  • Suas contas estão corretas?
  • Você incluiu nos seus rendimentos os rendimentos de aplicações financeiras, lucros e dividendos que justificam variação patrimonial (acréscimo de patrimônio)?
  • Você informou às dívidas que justificam as aquisições de bens ou direitos de valores vultosos?
  • Você informou seus bens e direitos de forma completa, e nos valores corretos?
  • Você informou corretamente o que já havia pago de imposto na fonte, ou através de recolhimento  antecipado, no ano anterior?
  • Se você é casado, já fez as contas se vale mais a pena declarar separado ou em conjunto?
  • Analisou com cuidado qual modelo de declaração vale mais a pena no seu caso, o simplificado ou o completo? Se você tem muitas despesas para deduzir, o esforço extra vale a pena e é melhor optar pelo formulário completo.
  • Não esqueceu de incluir rendimentos tributáveis, como aqueles recebidos de forma eventual, e que podem facilmente ser cruzados pela Receita Federal (como aqueles rendimentos advindos de empresas, que são informados na DIRF)?

 

CUIDADO PARA NÃO PREENCHER INFORMAÇÕES QUE NÃO EXISTEM, O PREENCHIMENTO ERRADO GERA MULTA E A MESMA NÃO É BARATA, LOGO, NÃO ECONOMIZE NO PROFISSIONAL QUALIFICADO PARA TAL PREENCHIMENTO.

 

Dicas Finais

Lembre-se que não é possível evitar esta época do ano, de forma que o melhor é tentar se antecipar e planejar sua declaração. Não só você vai tornar esta uma experiência mais tranquila, como também pode se beneficiar do fato de entregar sua declaração antecipadamente, pois a Receita tende a analisar as declarações por ordem de chegada e, com isto, sua restituição pode sair mais rápido.

Mas de nada adianta ser o primeiro a entregar a declaração, se ela está cheia de erros e inconsistências. Neste caso, tudo o que você irá conseguir é ser o primeiro a ter sua declaração retida na malha fina da Receita Federal.

 

Faça conosco sua declaração de Imposto de Renda 2017

É muito fácil e prático!

Caso deseje entrar em contato, envie-nos um e-mail para:

contato@avcontabil.com.br

Teremos o prazer em atendê-lo. 

 

Você também pode gostar
digitando no notbook
Veja como checar as rotinas trabalhistas na sua empresa
Tabela simples nacional 2017: fique por dentro
conversa de negócios
Saiba como executar um planejamento tributário na sua empresa

Deixe seu comentário

Seu comentário*

Nome*
Site

Share This